Deputados do Chile aprovam aborto terapêutico em caso de estupro e risco para a mãe

2677
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

(G1, 17/03/2016) Atualmente, aborto não é permitido em nenhuma circunstância no país. Projeto apresentado pelo governo agora vai para o Senado.

A Câmara dos Deputados do Chile aprovou nesta quinta-feira (17) o aborto em três situações: inviabilidade do feto, risco de morte para a mãe e estupro, um primeiro passo em um dos poucos países onde a interrupção da gravidez não era permitida em nenhuma circunstância.

“Incrível, aprovado”, declarou o presidente da Câmara dos Deputados, Marco Antonio Nuñoz, depois de um acalorado debate que terminou com a aprovação pela maioria presente do projeto apresentado pelo governo da presidente socialista Michelle Bachelet.

Cada parte do projeto foi votada em separado. No caso de risco de morte para a mãe, foi aprovado por 67 votos a favor e 47 contra; o de inviabilidade fetal, por 62 a favor e 46 contra; e o mais polêmico, o da gravidez por estupro, por 59 votos contra 47.

Agora, a iniciativa deve seguir para tramitação no Senado.

Até 1989 e por mais de 50 anos, o aborto esteve permitido nas situações de risco de morte da mãe, ou da inviabilidade do feto. Antes de deixar o poder, porém, o ex-ditador Augusto Pinochet proibiu a decisão, que se manteve inalterada em mais de duas décadas de democracia, devido à pressão da Igreja católica e de grupos conservadores.

Acesse no site de origem: Deputados do Chile aprovam aborto terapêutico em caso de estupro e risco para a mãe (G1, 17/03/2016)

Compartilhar: