OMS: 2,7 milhões de bebês morrem no primeiro mês de vida todos os anos

Compartilhar:
image_pdfPDF

(UN Multimedia, 17/08/2016) A Organização Mundial da Saúde, OMS, alertou esta terça-feira que 2,7 milhões de crianças morrem todos os anos no mundo no primeiro mês de vida e 2,6 milhões de bebês nascem sem vida, são natimortos.

A agência da ONU afirmou ainda que o dia do parto é o período mais perigoso para mães e bebês. Segundo a OMS, 303 mil mulheres morrem anualmente durante a gravidez ou na hora do parto.

Magnitude
De Londres, em entrevista à Rádio ONU, o médico e pesquisador do Departamento de Saúde Reprodutiva e Pesquisa da Organização Mundial da Saúde, João Paulo de Souza, falou sobre o problema.

“A mortalidade tanto materna quanto fetal e neonatal é, em grande parte determinada pelos determinantes sociais da saúde e da doença. Por exemplo: acesso à educação, acesso à renda e acesso a uma boa alimentação. E assim como os fatores relacionados a qualidade do cuidado dos serviços de saúde.”

A agência da ONU disse que a maioria das mortes neonatais e dos bebês que nascem sem vida pode ser evitada com serviço de saúde de qualidade durante a gravidez ou parto.
Os especialistas da agência afirmaram que quase todos os bebês natimortos e metade dos óbitos no parto não são registrados e nunca foram reportados ou investigados pelo sistema de saúde.

Resultado
Como resultado, os países não sabem o número correto de mortes ou das causas desses óbitos e, com isso, não têm condições de implementar ações eficazes para evitar a morte de outros bebês e mulheres.

Para combater o problema, a Organização Mundial da Saúde lançou três publicações que vão ajudar os governos mundiais a melhorar a coleta de dados nesse setor.
O diretor de Pesquisa e Saúde Reprodutiva da OMS, Ian Askew, afirmou que “é necessário garantir que todos os nascimentos e mortes sejam registrados para que as autoridades possam compreender o que deve ser feito para evitar futuros óbitos”.

Acesse no site de origem

Compartilhar: