ONU adota declaração com novo cronograma para acelerar fim do HIV

Compartilhar:
image_pdfPDF

(Rádio ONU, 09/06/2016) O fim da epidemia de HIV/Aids até 2030. Este é o tema de uma declaração aprovada num evento de alto nível na Assembleia Geral da ONU, aberto na quarta-feira.

Na declaração, os países concordaram com um conjunto de objetivos para acelerar o progresso do combate ao vírus nos próximos cinco anos.

Oportunidade

Ao discursar, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, lembrou que a Aids está longe do fim, e que o plano é uma oportunidade para mudar, de forma radical, a trajetória da epidemia.

A reunião de alto nível, marcada para terminar na sexta-feira, conta com representantes de governos, do setor privado e da sociedade civil, embaixadores da boa vontade, ativistas e especialistas em HIV/Aids, entre outros.

Em entrevista à Rádio ONU, o vice-diretor-executivo do Programa das Nações Unidas sobre HIV/Aids, Unaids, Luiz Loures, disse que o momento é histórico e vai levar a uma mudança necessária para eliminar a epidemia.

“Há um progresso científico extraordinário. Sem nenhuma dúvida, nos permite hoje dizer que nós temos todos os instrumentos para levar esta epidemia ao fim. Mas existem desafios. A declaração inclui compromissos pelos Estados-membros das Nações Unidas, que vão nos permitir então a passar à fase de implementação e monitorar a implementação desses compromissos. A declaração é extremamente importante, mas não significa o fim da Aids ainda.”

A abordagem de acelerar o combate ao HIV é uma proposta do Unaids para alcançar a meta de menos de 500 mil casos de novas infecções e menos de 500 mil mortes pela epidemia e por doenças associadas à Aids, assim também como eliminar a discriminação a soropositivos em todo o mundo.

Encontro sobre a conscientização de jovens e adolescentes no combate ao vírus através da indústria do entretenimento, que aconteceu nesta quinta-feira na sede da ONU em Nova York. (Foto: Rádio ONU)

Na manhã desta quinta-feira aqui em Nova York, a representante do Unaids no Brasil, Georgiana Braga-Orillard, participou de um evento sobre a conscientização de jovens e adolescentes no combate ao vírus através da indústria do entretenimento, tomando como exemplo o caso de novelas de TV.

Discursaram também Luiz Loures, uma diretora da Rede Globo, Beatriz Azeredo, um representante do Ministério da Saúde do Brasil e o ator e escritor Gabriel Estrela.

Compartilhar: