SMS e Sesau enfrentam crescimento da Aids entre mulheres

831
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

(Tribuna Hoje, 02/07/2014) A Secretaria Municipal de Saúde (SMS), em parceria com as secretarias Estadual de Saúde (Sesau) e da Mulher, da Cidadania e dos Direitos Humanos, realizou no início desta semana um encontro para discutir a realização do “Projeto Mulheres em Ação na Diversidade”. O plano para ser construído precisa de três metas específicas: a realização de campanha de enfrentamento à feminilização da Aids, geodiagnóstico da prostituição em Alagoas, e formação em protagonismo social, prevenção as DSTs/Aids e redução de danos .

A primeira meta, a realização da “Campanha de Enfrentamento à Feminilização da Aids – Ação Mulher, sentiu tesão camisinha na mão!” tem como método a abordagem em dezessete pontos diferentes, como mercados e feiras, utilização de carro de som, rádios comunitárias e ainda performances em atrações culturais, levando informação sobre as formas de se contrair a Aids. Para isso serão disponibilizados profissionais de saúde que possam, nessas ocasiões, realizar o teste rápido (que identifica por meio de uma furada no dedo se a pessoa é portadoras do vírus HIV, se tem Aids, Hepatite B e C ou Sífilis).

Para a segunda meta, o geodiagnóstico da prostituição em Alagoas, será necessário mapear os estabelecimentos, ruas e avenidas que são tomadas como referência para o exercício da prostituição em sete municípios: Arapiraca, Coruripe, Delmiro Gouveia, Maceió, Maragogi, São Miguel dos Campos e União dos Palmares.

Nessas cidades será identificado o perfil sóciocultural das mulheres que exercem o ofício da prostituição. Também serão identificadas as demandas das mulheres profissionais do sexo relacionadas às questões de saúde e violência.

O instrumento utilizado para a realização dessa meta será por meio de um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE), questionário estruturado, entrevista semi-estruturada, termo de autorização de exibição de imagem, e ficha do cadastro de estabelecimento. O método de análise será quantitativo e qualitativo.

SMS e Sesau são responsáveis pelos sete municípios, realizando o acolhimento da equipe técnica e também dos técnicos para colaborar nesse geodianóstico. As Organizações Não Governamentais, sociedade civil e profissional do sexo serão colaboradores dessa meta. A equipe do Consultório na Rua também participará do mapeamento e abordagem.

A terceira meta, formação em protagonismo social, prevenção às DSTs/Aids e redução de danos tem como estratégia a realização de seis oficinas para mulheres em situação de vulnerabilidade social e duas oficinas para mulheres e Lésbicas, Bissexuais e Travestis (LBTs), vivendo com sorologia positiva.

Após essa etapa, acontecerá um seminário, que será realizado em Maceió, para noventa mulheres que se destacaram com potencial em liderança durante as oficinas. O próximo encontro será realizado na segunda quinzena deste mês, com data e local ainda a serem confirmados.

Acesse o PDF: SMS e Sesau enfrentam crescimento da Aids entre mulheres

 

 

Compartilhar: