Discussão na imprensa americana relaciona nudez feminina nas séries à violência

4320
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

(O Globo, 08/07/2014) A influência da TV e do cinema — e também dos videogames — em comportamentos criminosos é constantemente alvo de discussão na imprensa americana, e parece que uma nova leva de polêmica vem por aí. Depois que a crítica de cinema Ann Hornaday relacionou o caso do rapaz que matou seis pessoas na Califórnia no fim de maio à frustração sexual causada pelos típicos filmes adolescentes americanos — e ela citou nominalmente o longa “Neighbors, arranjando briga com Judd Apatow e Seth Rogen pelo Twitter — chegou a vez das séries.

Esta semana, um artigo da revista The Society Pages repercutiu no universo televisivo americano: para Sezin Koehler, autora do texto, a constante nudez feminina em séries da HBO como “Game of Thrones”, “True blood” e “Hung” contribui para o sentimento geral de que as mulheres devem ser tratadas como objeto de satisfação sexual pelos homens. Elliot Rodger, o atirador da Califórnia, disse no vídeo que gravou antes de fazer suas vítimas que iria “se vingar da humanidade e punir a todos” por ter 22 anos e nunca ter beijado uma garota, já que elas não eram atraídas por ele.

A atriz Nathalie Emmanuel, a Missandei de “Game of Thrones” – Reprodução

No texto da The Society Pages, Koehler analisa sequências de cada uma das séries para mostrar que sempre há cenas de nu frontal das mulheres, enquanto os homens são preservados.

“Enquanto há dezenas de exemplos de nu frontal feminino na sexta temporada de ‘True blood’, de protagonistas a figurantes, há apenas dois momentos de nu frontal masculino”, diz a autora. Ela também faz observações sobre “Hung”, na qual houve apenas um nu frontal parcial do protagonista, embora suas parceiras quase sempre apareçam completamente nuas: “Mesmo numa série que é sobre a objetificação sexual de um homem e do seu órgão sexual, ainda são as mulheres os objetos sexuais”

Em “Game of Thrones” também há questões a serem consideradas, segundo Koehler: “As mulheres aparecem nuas na maioria dos episódios de ‘Game of Thrones’, mesmo que seus parceiros não apareçam. Há uma série de cenas de bordeis desnecessárias, e mesmo quando há garotas e garotos de programa, apenas os corpos das mulheres são mostrados totalmente”.

A série, aliás, já foi criticada por uma série de outros motivos — desde o início, a relação incestuosa entre Jaime (Nikolaj Coster-Waldau) e Cersei (Lena Headey ) Lannister é alvo de críticas. Mais recentemente, uma cena de sexo entre os dois ainda causou discussão sobre a existência ou não de um estupro.

No fim do texto, Sezin Koehler critica com mais ênfase e relaciona diretamente a nudez aos casos de violência. Segundo ela, a nudez raramente é necessária para contar uma história. “A nudez da mulher não tem nada a ver com o enredo, mas com tratar as mulheres como objetos e os homens como seres humanos. É um problema sistêmico. Os corpos das mulheres existem, nestas séries, para servir aos homens, nos levando a esta cultura do direito masculino sobre as mulheres. No caso de Elliot Rodgers, essa cultura levou diretamente à violência”.

Acesse o PDF: Discussão na imprensa americana relaciona nudez feminina nas séries à violência

 

 

Compartilhar: