Capitais com mais gravidez na adolescência têm menor cobertura de creche

Compartilhar:
image_pdfPDF

Mapeamento mostra que ausência de ações reforça ciclo intergeracional de pobreza

(Folha de S.Paulo | 03/09/2020 | Por Isabela Palhares)

As capitais brasileiras com maiores taxas de gravidez na adolescência são também as que têm menor atendimento em creche para crianças de 0 a 3 anos, segundo levantamento feito pela Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal. Os dados foram compilados para o projeto Primeira Infância Primeiro, que reúne informações e iniciativas que devem ser debatidas nas eleições municipais deste ano. O objetivo da fundação é mostrar aos candidatos a importância de ter projetos voltados para melhorar as condições de vida de crianças pequenas. Foram compilados para mais de 5.000 municípios brasileiros 33 indicadores com informações sobre saúde, educação, violência e assistência social que interferem no desenvolvimento das crianças nessa primeira etapa da vida.
Compartilhar: