07/03/2010 – Quando elas chefiam eles, respeito e compreensão fazem a diferença

771
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

Ouvir o que o subordinado tem a dizer ajuda a comandar. Esta foi uma das principais conclusões da reportagem que o Portal G1 realizou para avaliar as conquistas das mulheres no mercado de trabalho.

Com os avanços das mulheres na hierarquia corporativa, hoje muitas comandam equipes formadas na maioria por homens. 

Para a engenheira civil Elianna Melo, de 36 anos, a chave da boa convivência é o respeito. Ela trabalha com obras há 15 anos e é proprietária há cerca de dois anos de uma construtora de pequeno porte na qual chefia 12 homens, entre encarregado, mestre de obras, pedreiros e ajudantes de pedreiros – mas já liderou 60 quando coordenou uma obra na Avenida Faria Lima, em São Paulo.
 
“Nunca tive dificuldade de me impor. Eu tenho o respeito deles porque eu respeito as pessoas. Eu não faço sozinha uma obra, cada um tem sua função, não existe essa história de engenheiro se achar melhor que os outros. Quem usa marreta é tão importante quanto quem coordena. Meus meninos sabem que eu penso assim, a gente entende que é uma equipe”, afirma. Elianna.

Presidente de uma distribuidora de produtos químicos, Vera Gabriel, 62 anos, está acostumada a trabalhar e chefiar equipes compostas por homens. Em sua empresa, 80% dos funcionários são profissionais do sexo masculino. Logo abaixo dela estão cinco diretores, sendo que quatro são homens.

“O sucesso de trabalhar com homem é não interferir na forma como ele trabalha, deixar ele desenvolver. As interferências devem acontecer somente nos resultados”, diz Vera.

Para Denise Romanelli, de 42 anos, que também comanda uma equipe composta majoritariamente por homens, não há diferença entre o trabalho deles e o delas. “No mundo atual não tem mais essa diferença. Depende da postura que a mulher se coloca. Independente de ser mulher ou homem, são profissionais”, diz ela, que admite que, talvez, a única diferença que pode haver entre ambos está na questão física.

Leia essa matéria em pdf: G1 – 07/03/2010

Leia também:
Desigualdade ainda pesa contra as mulheres no mercado de trabalho (Globo Online – 08/03/2010)

Mulheres são apenas 5% entre presidentes de companhias, diz pesquisa (Globo Online – 08/03/2010)

Compartilhar: