O que os principais candidatos à presidência disseram sobre casamento homossexual e aborto

5305
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

(G1, 14/09/2014) Saiba o que os três candidatos à Presidência mais bem colocados nas pesquisas disseram sobre casamento homossexual e aborto:


Casamento homossexual

Aécio Neves

Não me oponho à união civil entre homossexuais. Defendo a responsabilidade civil compartilhada entre os parceiros. O Brasil está avançando nesta direção, e a legislação deve acompanhar este avanço da sociedade. Não coloco nenhuma objeção ao fato.
17/08/2006

Sou a favor [da união civil gay]. É a realidade do mundo moderno, ninguém é contra a realidade do mundo. Isso já foi. Respeito quem tem posição divergente, lamento apenas que a pauta da câmara esteja concentrada nisso.
07/04/2013

Tudo que envolver afeto e condições adequadas e, obviamente, assistentes sociais, profissionais do setor que vão fazer essa avaliação, eu não me oporia [a adoção por casais gays]. Se houver, por parte dos profissionais da área, avaliação de que há condições adequadas desses casais criarem a criança, talvez ela fique ali melhor do que nos abrigos e nos albergues.
22/05/2014


Dilma Rousseff

[O Brasil] marcha nesse sentido [de aprovar a união civil] porque o Judiciário vem reconhecendo isso.
21/07/2010

A questão da união civil é uma questão de direitos civis dos cidadãos. Outra coisa diferente é o casamento entre homossexuais. Isso diz respeito às igrejas. Ninguém pode interferir nisso. O que eu assumo a responsabilidade é de jamais mandar ou enviar legislações ou sancioná-las que façam restrições aos direitos das religiões de tomar as posições que consideram corretas de acordo com seu credo.
13/10/2010

A parte relativa a condenar o preconceito contra o homossexual, nós todos temos que endossar. Agora a parte relativa a criminalizar as igrejas quando dentro das igrejas há alguma manifestação que elas não aceitam é um absurdo. É um excesso. Então qual é a minha posição? Há que ter equilibrio. Você não pode exigir que as igrejas aceitem aquilo que elas não concordam quando elas se reúnem nos seu templos religiosos para exercer a sua fé.
13/10/2010


Marina Silva

O casamento é uma instituição entre pessoas de sexos diferentes, uma instituição que foi pensada há milhares de anos para essa finalidade. Eu não tenho uma posição favorável.
01/06/2010

Eu entendo casamento como sacramento. Como sacramento, eu não acho que deva ser dado esse enquadro. Então eu digo com transparencia que não tenho uma posição favorável. Daí isso significar discriminar as pessoas que tem essa opção, de coibí-las a defender suas bandeiras, isso é outra coisa. Tenho profundo respeito por todas as pessoas (…). Agora se me é perguntado eu prefiro ser transparente. Eu prefiro que o movimento gay olhe para mim e diga: ‘a Marina, nesse aspecto, ela não pensa igual a mim’. (…) [Sou a favor] da união civil de bens.
02/06/2010

Em relação a questão dos homossexuais, eu acho que os direitos dos cidadãos são para todos os cidadãos brasileiros. As políticas públicas devem alcançar todos os cidadãos brasileiros independentemente da sua condição de raça, de cor, de religião ou a sua opção sexual. (…) Agora o que as pessoas têm me criticado, e o movimento tem me criticado, é em relação ao casamento, e aí eu digo que tenho uma posição contrária.
14/06/2010

A nossa Constituição assegura liberdade religiosa, e as igrejas, qualquer uma delas que tenha essa questão [do casamento gay] dentro dos seus cânones como sendo algo que não está em acordo (…) com seu livro sagrado, terá o direito de dizê-lo. Não tratando como um problema moral ou de desqualificação das pessoas. É um direito. [Proibir] isso seria ferir a liberdade religiosa das pessoas. Por outro lado, a igreja não pode mandar naquilo que são as leis civis. As pessoas têm direito de ser quem são independente da posição daqueles que creem.
27/02/2013

Independente da orientação sexual do candidato à adoção, a sua qualificação terá que passar por uma avaliação técnica de um especialista indicado pelo Estado, com competência legal para dizer quem está apto ou não para adotar uma criança.
02/07/2014


Aborto

Aécio Neves

Não apóio a legalização do aborto, mas não defendo que a mulher que tomou tal iniciativa seja presa, já que todo crime deve ser seguido de uma condenação. (…) Não questiono a mulher que toma tal atitude, até porque imagino que seja uma decisão muito sofrida para ela.
17/08/2006

As regras atuais [do aborto] são adequadas e suprem as nossas necessidades no momento.
22/05/2014


Dilma Rousseff

Olha, eu acho que tem que haver a descriminalização do aborto. Hoje, no Brasil, isso é um absurdo que não haja a descriminalização.
04/10/2007

Aborto é uma coisa que nenhuma mulher defende, ninguém fala ‘eu quero fazer aborto’. Não é uma questão de foro íntimo, meu, seu, da igreja, de quem quer que seja. É algo que eu acredito que é política de saúde pública. Acho que a legislação brasileira nesse ponto é muito clara.
12/05/2010

Sou pessoalmente contra o aborto e defendo a manutenção da legislação atual sobre o assunto. Eleita presidente da República, não tomarei a iniciativa de propor alterações de pontos que tratem da legislação do aborto e de outros temas concernentes à família e à livre expressão de qualquer religião do País.
15/10/2010


Marina Silva

Não julgo quem o faz. Quando uma mulher recorre ao aborto, está em um momento de dor, sofrimento e desamparo. Mas eu, pessoalmente, não defendo o aborto, defendo a vida. É uma questão de fé. Tenho a clareza, porém, de que o estado deve cumprir as leis que existem. Acho apenas que qualquer mudança nessa legislação, por envolver questões éticas e morais, deveria ser objeto de um plebiscito.
02/09/2009

Eu não faria um aborto e não advogo em favor dele. Mas reconheço que existem argumentos relevantes dos dois lados da discussão. Essas situações acontecem em momentos de muito sofrimento e desamparo e não podem ser tratadas de forma simplista e maniqueísta.
04/02/2010

Eu pessoalmente tenho uma posição contrária ao aborto e defendo que se faça um plebiscito para as propostas que temos hoje sendo debatidas e que não estão previstas em lei. (…) Essa é uma questão complexa, não é uma questão puramente religiosa, ela envolve aspectos de natureza filosófica, envolve aspectos de natureza ética e de natureza moral. Eu defendo que se deva debater. Há um consenso. Há falta de informação sobre o assunto.
14/06/2010

Eu não faria um aborto. Mas o que está na lei é um direito das pessoas. Para as outras questões que não estão na lei, eu defendo que se faça um plebiscito. Se a questão [do aborto de anencéfalos] não tiver sido resolvida pelo Supremo, eu defendo o plebiscito.
17/05/2010

Em relação ao aborto, eu defendi o plebiscito [em 2010] porque é uma questão muito complexa. Envolve uma série de fatores, que não são puramente religiosos. Existem pessoas que não têm nenhuma fé e no entanto defendem radicalmente a vida, que não admitem que se mate um inseto, qualquer coisa do gênero. São questões de natureza política, religiosa, filosófica.
27/02/2013

Acesse no site de origem: Na boca do candidato (G1, 14/09/2014)


Compartilhar: