Robô vai monitorar ações sobre direito das mulheres no Congresso; veja como funciona o bot da Revista AzMina

Compartilhar:
image_pdfPDF

Um robô que vasculha toneladas de leis para ajudar as mulheres brasileiras não é coisa do futuro. Na realidade, já está ao vivo na internet.

(Universa/UOL, 07/03/2020 – acesse no site de origem)

O robô “Elas no Congresso”, com lançamento previsto para este domingo, Dia Internacional da Mulher, vai divulgar projetos de lei da Câmara dos Deputados e Senado em Brasília. O bot filtra assuntos de interesse das mulheres: violência doméstica, licença-maternidade, aborto, guarda dos filhos e amamentação

Os projetos são compartilhados e acessíveis no Twitter. Hoje, mais de 2.000 textos e matérias sobre direitos das
mulheres estão circulando ou parados no Congresso Nacional.

Leia tambémRevista Azmina lança robô que monitora projetos de lei de interesse das mulheres (Portal Imprensa, 11/03/2020)

“A grande missão desse projeto é tornar o monitoramento legislativo mais acessível para a sociedade em geral, para a imprensa e para organizações que advogam por esses temas e criam estratégias de mobilização e incidência”, diz Bárbara Libório, gerente do projeto Elas no Congresso.

O que mais chamou a atenção da programadora foi a caraterística das propostas nos últimos anos. “Diferentes
parlamentares e partidos, que são vistos como sem muita afinidade com os direitos da mulher, apresentarem projetos  com a temática”, diz.

Até junho, a equipe, que venceu um programa de patrocínio do Google, vai eleger um ranking com temas mais
disputados pelos congressistas em relação aos direitos das mulheres.

Como funciona

Primeiro, Bárbara teve acesso a projetos de lei, emendas e outros textos no banco de dados da Câmara e do Senado.
Depois, ela fez um filtro com palavras-chave e o status dos projetos de lei (se está sendo debatida, se está parada em comissão, etc.). Feito isso, conectou a uma página de Twitter. O código do Elas no Congresso, aliás, é aberto e pode ser explorado por qualquer pessoa. Um exemplo:

Veja outros Tweets de Elas no Congresso

A proposta não está sozinha. Nos últimos anos, uma porção de robôs têm auxiliado mulheres com diferentes formas. Há a Beta, que envia mensagens no Facebook para alertar sobre pautas importantes de direitos da mulher em Brasília.

Também existe a Isa: um robô que responde a perguntas e orienta mulheres que são vítimas de violência doméstica.

Compartilhar: