‘Nunca imaginei que o Brasil fosse tão machista’, diz presidente da Bombril

495
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

(Folha de S. Paulo, 25/11/2015) “Nunca imaginei que este país era tão machista. Vivemos isso na carne”, disse Marcos Scaldelai, presidente da Bombril. A empresa foi alvo de investigação no Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) após consumidores reclamarem de uma propaganda em que as mulheres eram definidas como “divas” e, os homens, como “divagares” [devagar].

A peça, estrelada pela cantora Ivete Sangalo e pelas humoristas Monica Iozzi e Dani Calabresa, foi acusada de fazer “discriminação de gênero” e “deboche da figura masculina”. Por unanimidade, o colegiado do Conar arquivou o processo em setembro.

“A hipocrisia é tão grande que no comercial de cerveja pode ter mulher de biquíni”, afirmou o empresário.

As declarações de Scaldeli aconteceram na quarta-feira (25) durante o 5ª Fórum Mulheres em Destaque, organizado pela CKZ Eventos com apoio da ONU Mulheres e do Insper, entre outros. O empresário foi homenageado como um dos “líderes masculinos que patrocinam boas práticas de diversidade de gênero e suas organizações”.

Marcos Scaldelai, presidente da Bombril, durante o 5ª Fórum Mulheres em Destaque

Marcos Scaldelai, presidente da Bombril, durante o 5ª Fórum Mulheres em Destaque (Foto: Reprodução)

Marcio Fernandes, presidente da Elektro, também foi homenageado na categoria.

De acordo com o presidente da Bombril, a empresa implementa práticas de promoção de igualdade de gênero entre os funcionários. Ele citou a participação da empresa no Movimento Mulher 360º, projeto criado pelo Wallmart em 2011 que definiu metas objetivas para promover a equidade de gênero na cadeia do varejo, como valorizar a imagem da mulher em campanhas publicitárias.

A adoção dessas ações não faz da empresa feminista, na visão do empresário. “Nós também não gostamos de feminismo. Queremos igualdade geral”, disse.

Após receber a homenagem, ele assinou o WEPs (Princípios de Empoderamento das Mulheres), uma carta com sete pontos cujo objetivo é promover a igualdade de gênero no trabalho. O documento é uma iniciativa da ONU Mulheres em parceria com o Pacto Global da ONU.

Cerca de mil empresas no mundo são signatárias do compromisso. No Brasil, são 71 organizações nacionais e 13 multinacionais.

Fernanda Perrin

Acesse no PDF: ‘Nunca imaginei que o Brasil fosse tão machista’, diz presidente da Bombril (Folha de S. Paulo, 25/11/2015)

 

Compartilhar: