Viva Maria: Movimentos de mulheres repudiam agressões contra professora da UnB

Compartilhar:
image_pdfPDF

Pela vida das mulheres Viva Maria subscreve a nota  de apoio do Instituto Patricia Galvão à pesquisadora Débora Diniz, do Instituto de Bioética – Anis, que é também escritora e professora da Universidade de Brasília.

(Radioagência Nacional, 20/07/2018 – acesse no site de origem)

Como o Instituto Patricia Galvão, repudiamos todo e  qualquer tipo de agressão e ameaça feitas contra a Dra. Débora e a  qualquer mulher que lute por seus direitos. Cobramos ainda a urgente responsabilização e punição dos agressores.

Embora tenha registrado Boletim de Ocorrência há duas semanas após sofrer agressões em redes sociais e receber mensagens e ligações com ameaças de morte , infelizmente, Débora Diniz que é defensora e ativista pela descriminalização do aborto foi agredida por um grupo de extremistas  na última quarta-feira (18) e teve que deixar Brasília para um lugar que ela própria  preferiu não informar!

Curioso observar que tudo isso acontece  às vésperas da  audiência  pública sobre  descriminalização do aborto até a 12ª semana de gestação,  marcada pela  ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal para os dias 3 e 6 de agosto.

Por tudo isso, nosso  programa faz questão de ouvir a socióloga Jaqueline Pitanguy, que ao lado de tantas ativistas pelos direitos humanos das mulheres também  já viveu agressões não físicas mas violentas! Jacqueline foi presidente do Conselho Nacional dos Direitos da Mulher no período  Constituinte  e, hoje, é coordenadora executiva da ONG Cidadania, Estudo, Pesquisa, Informação e Ação (Cepia). Seja muito bem-vinda!

Compartilhar: