Nas redes, mulheres debatem mais do que homens violência contra mulher

Compartilhar:
image_pdfPDF

Pesquisa da Ipsos Brasil analisou conversas online e notícias durante pandemia

(Folha de S.Paulo | 05/04/2022 | Por Havolene Valinhos)

No Brasil, mais usuárias de redes sociais do que usuários tratam do tema violência contra a mulher. Elas respondem por 54% das publicações e eles, por 45%, segundo estudo realizado pela Ipsos Brasil com a ONU Mulheres, divulgado nesta terça-feira (5). O dado tem como base 351,6 mil autores de posts cujo gênero foi possível identificar.

O quadro é uma das conclusões do levantamento, que, ao todo, analisou 4,9 milhões publicações feitas em 2020 em cinco países. Entre elas estão notícias, posts públicos em redes sociais, entre as quais Twitter, Instagram, Facebook, e também em fóruns de opinião. Em comum, todos abordavam violência contra a mulher.

O objetivo, segundo os autores do trabalho, era medir o impacto da pandemia nas notícias e nas conversas online acerca do tema em Brasil, México, El Salvador, Honduras e Guatemala. Só no Brasil foram 2,5 milhões de posts e 137 mil publicações de sites de notícias.

Para a análise, foi utilizado um sistema que interpreta grandes volumes de dados por meio de inteligência artificial.

Acesse a matéria completa no site de origem.

Compartilhar: