Editorial do jornal ‘Agora SP’ sobre os molestadores de mulheres no transporte público

1400
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

(Agora-SP) Eles se chamam de “encoxadores”, estimulam assédio sexual e postam vídeos e fotos de situações em que abusaram de mulheres.

As autoridades precisam mostrar rigor no combate a esse tipo de atitude, que viola os direitos das paulistanas. Criminosos não podem permanecer sem punição.

No começo da semana, agentes da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) prenderam em flagrante um passageiro, acusado de estupro.

Em um trem na estação Tatuapé, o delinquente tinha torcido o braço de uma mulher e dado ordens para que abaixasse a calça e tirasse a calcinha. O rapaz disse que tinha sido incentivado por sites de “encoxadores”.

Desde o começo do ano, pelo menos 16 homens já foram presos por abusos no metrô e nos trens.

Felizmente, a Polícia Civil está tomando providências. Ela está rastreando páginas da internet que incentivam o assédio sexual contra mulheres no transporte público, uma forma de ir atrás das pessoas responsáveis.

Enquanto esse tipo de comportamento inaceitável ainda acontecer, especialistas sugerem ações que as mulheres podem tomar para sua própria proteção.

Pedir socorro aos outros passageiros, gritar, correr, fazer de tudo para deixar o agressor constrangido, por exemplo. Procurar a polícia e a equipe de segurança é outra medida.

O ideal, é claro, é que as mulheres não necessitem fazer nada disso. O transporte público precisa ser seguro para todos os passageiros.

 

 

Compartilhar: