80% das mulheres vítimas de violência com faca ou arma de fogo em 2020 tinham filhos

Compartilhar:
image_pdfPDF

Dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, apontam que violência contra mulher não atinge apenas vítima, mas também crianças

(Crescer Online | 15/07/2021 | Por Redação)

Em 80% dos casos em que um agressor tentou matar ou ferir uma mulher com faca ou arma de fogo no Brasil em 2020, essa vítima tinha filhos, de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira (15) pelo Anuário Brasileiro de Segurança Pública, elaborado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP).

A prevalência das mães como vítimas também aparece em outros tipos de violência contra mulher como “espancamento ou tentativa de estrangulamento” (74,3%) e ameaça com faca ou arma de fogo (70,9%). Em apenas um tipo de violência contra mulher, houve mais casos relatados entre as que não tinham filhos (53,3%) do que as que eram mães (46,7%): amedrontamento e perseguição.

Para os pesquisadores, os dados são um alerta para as consequências da violência contra mulher para toda sociedade. “Aos poucos é possível verificar que muitas crianças foram expostas a ambientes de maior tensão nos domicílios no ano de 2020 e com isso conviveram com mais situações de violência doméstica em um momento em que estiveram afastadas da escola”, escreveram os pesquisadores no Anuário.

Acesse a matéria completa no site de origem

Compartilhar: