Feminicídio: Câmara aprova projeto que torna crime autônomo e aumenta punição em regime fechado

Compartilhar:
image_pdfPDF

(O Globo | 18/05/2021 | Por Melissa Duarte)

BRASÍLIA — A Câmara dos Deputados deu aval nesta terça-feira para que o feminicídio se torne um tipo específico, isto é, deixe de ser um agravante e se torne um crime autônomo dentro do Código Penal. A penalidade mínima sobe de 12 para 20 anos, com o máximo de 30 anos em regime fechado. Como houve consenso entre as bancadas, a votação foi simbólica. Agora, o texto segue para tramitação no Senado.

— Entendemos ser imprescindível o aumento da pena do crime de feminicídio para frear o aumento de casos recentes de violência contra a mulher. Apesar de o feminicídio ser crime hediondo com pena de 12 a 30 anos de reclusão, tais penas não intimidam os criminosos, que insistem na violência, não temendo a aplicação da lei penal — argumentou a relatora do projeto, Policial Katia Sastre (PL-SP).

Segundo o Anuário Brasileiro de Segurança Pùblica, 648 mulheres tiveram as vidas ceifadas diante do feminicídio no primeiro semestre de 2020 — um aumento de 1,9% em relação ao mesmo período do ano anterior. Desse total, 89,9% foram assassinadas por companheiro ou ex-parceiro.

Acesse a matéria completa no site de origem.

Compartilhar: