Médico ofende casal de lésbicas em Goiânia: ‘Gay, se pegar, tem que matar’

Compartilhar:
image_pdfPDF

(Correio Braziliense, 16/06/2016) Vídeo foi postado nas redes sociais por uma das vítimas. Caso ocorreu em posto de combustíveis no centro de Goiânia

Um vídeo postado nas redes sociais mostra agressões verbais sofridas por duas mulheres por serem lésbicas. Quem aparece nas imagens é um médico pneumologista, identificado como Ricardo Dourado, tentando convencer o casal de que é “anormal” ser homossexual.

“Veado, gay, se pegar, tem que matar. O mundo não é pra isso, as aberrações, esquece isso”, disse o médico. Ele também falou para uma das mulheres que ela devia ir atrás de um homem bom para ela, casar e ter filhos. “Vocês querem o anormal”, completou.

O caso aconteceu na madrugada desta quarta-feira (15/6) em um posto de combustíveis na Praça Cívica, no centro de Goiânia. O casal registrou ocorrência contra o médico no 1º Distrito Policial da cidade.

Na tarde desta quinta-feira (16/6), Dourado se defendeu nas redes sociais e afirmou não ser homofóbico. “Convivo bem com pessoas que são homossexuais, inclusive trabalham pra mim, mas quero, no mínimo, respeito”, disse.

Acesse no site de origem: Médico ofende casal de lésbicas em Goiânia: ‘Gay, se pegar, tem que matar’ (Correio Braziliense, 16/06/2016)

Compartilhar: