ONU Mulheres e parceiros lançam campanha #CarnavalElesPorElas para mostrar que a diferença entre o assédio e a paquera está no respeito

591
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

“Respeita as mina. É simples.” é o conceito da campanha do movimento ElesPorElas HeForShe. As mensagens foram criadas para evidenciar que não há justificativa para a violência contra as mulheres – a responsabilidade do assédio nunca é da vítima, mas sim do assediador

(ONU Mulheres, 02/02/2018 – acesse no site de origem)

Em tempos de Carnaval, as denúncias de assédio sexual aumentam significantemente no Brasil. Muitos desses casos de assédio são consequência de uma cultura em que os homens não escutam as mulheres. Foi com o objetivo de jogar luz sobre esse problema que a ONU Mulheres, com o suporte do Comitê Nacional Impulsor ElesPorElas HeForShe, criou a campanha “Respeita as mina. É simples.” A campanha está sendo viabilizada com o apoio do Museu de Arte Moderna de São Paulo, do Brasília Cidadã, do Metrô-DF, do Metrô-SP, da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Bahia; com a criação da agência de publicidade Heads Propaganda e o patrocínio da Atento, da Avon, e da Itaipu Binacional. Este ano, a campanha para o Carnaval foi criada como parte do movimento global de solidariedade pela igualdade de gênero ElesPorElas HeForShe para falar diretamente com os homens e mostrar que a responsabilidade do assédio nunca é da vítima, mas sim do assediador.

A ONU Mulheres espera provocar uma reflexão dos homens sobre suas atitudes e comportamentos durante as festividades, para que a cultura do assédio não seja reproduzida, normalizada ou tolerada. “O Carnaval é um momento de diversão para todas e todos, mas infelizmente a realidade é que os espaços ainda não são seguros para que as mulheres possam se divertir sem medo de violência. Para tanto, é preciso que os homens abandonem comportamentos nocivos que perpetuam a violência e isso requer que eles respeitem as mulheres”, disse Nadine Gasman, representante da ONU Mulheres no Brasil.

Com frases simples, a campanha mostra que os homens não podem julgar o comportamento das mulheres e nem tomar atitudes que contrariam a vontade delas. As frases da campanha evidenciam que a mensagem é óbvia e que não cabem outras interpretações pelos homens: “Se a mulher disse não para você, significa que ela disse não para você”; “Se a mulher veste roupas curtas, significa que ela está querendo vestir roupas curtas”; “Quando a mulher falar que vai pedir o taxi para ir embora, significa que ela vai pedir o taxi para ir embora”; “Quando a mulher falar que quer curtir a festa com as amigas, significa que ela quer curtir a festa com as amigas.”; “Quando a mulher diz que não quer beijar você, significa que ela não quer beijar você”; “Quando a mulher está rebolando até o chão, significa que ela está querendo rebolar até o chão”. O objetivo dessas mensagens é provar que assédio não é paquera, e que a diferença entre as duas abordagens é o respeito. Se a resposta da mulher não foi respeitada ou se ela não concedeu a aproximação, a abordagem é assédio sexual.

Este já é o quarto ano que a ONU Mulheres promove uma campanha no período do Carnaval visando a conscientizar os foliões e foliãs sobre a necessidade de combater a violência sexual. Isso porque as denúncias de violência contra as mulheres aumentam expressamente durante o período: Em 2017, esse aumento chegou a 90%. A Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180 – registrou 2132 atendimentos nos quatro dias de Carnaval.

Divulgação da campanha – Todos os materiais da campanha estão disponíveis para download no site da ONU Mulheres e nas redes sociais.
Os pôsteres e vídeos de animação serão veiculados em mídias digitais em todo o Brasil e em mídias outdoor em São Paulo. Com o objetivo de atingir um público diverso, foram firmadas parcerias com o Metrô-SP, o Metrô-DF, para a exibição dos materiais em espaços publicitários de transportes públicos. A campanha também poderá ser vista nos ônibus turísticos da Itaipu Binacional, em Foz do Iguaçu.

Sobre o movimento ElesPorElas HeForShe – Criado pela ONU Mulheres, o movimento de solidariedade pela igualdade de gênero ElesPorElas HeForShe oferece uma abordagem sistemática e uma plataforma global pela qual toda as pessoas podem se envolver e se tornar agentes de mudança para alcançar a igualdade de gênero. O movimento convida homens e meninos a se envolverem no movimento das mulheres como parceiros iguais, criando e implementando uma visão compartilhada da igualdade de gênero que beneficiará toda a humanidade. Todas as pessoas, independente do sexo ou gênero, são convidadas a assinar o compromisso e buscar maiores informações pela plataforma online www.ElesPorElas.org

Sobre o Comitê Nacional Impulsor ElesPorElas HeForShe – Sob a liderança no escritório da ONU Mulheres no Brasil, o Comitê Nacional Impulsor ElesPorElas HeForShe é composto por 20 representantes de governos, empresas, universidades, sociedade civil, mídia e homens públicos. Os membros do Comitê colaboram para o movimento ElesPorElas HeForShe, atuando como impulsores por meio da promoção de ações e do compartilhamento de experiências e atividades de impacto para ampla mobilização de brasileiros e brasileiras. São eles: Avon, GNT, Heads, Itaipu Binacional, KPMG, Renault, PwC, Unilever, Tupperware, Twitter Brasil, APMP Mulher, CNM, Frente Nacional dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres, SPM-PR, USP, AMVB, AMNB, Instituto Papai, Papo de Homem e Promundo.

Siga a ElesPorElas nas redes sociais:
www.Facebook.com/ElesPorElasHeForShe
www.Instagram.com/ElesPorElasHeForShe
www.Twitter.com/ElesPorElas

Compartilhar: