Pesquisa retrata violência doméstica contra mulheres nordestinas

683
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

Uma em cada três mulheres nordestinas já sofreu algum tipo de violência doméstica ao longo da vida. Essa é um dos resultados da Pesquisa de Condições Socioeconômicas e Violência Doméstica e Familiar, realizada em nove capitais da região Nordeste, pelo Instituto Maria da Penha, em parceria com a Universidade Federal do Ceará e o Instituto para Estudos Avançados de Toulouse.

(SPM, 08/12/2016 – acesse no site de origem)

A Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, do Ministério da Justiça e Cidadania, investiu cerca de R$ 2 milhões no projeto, que pretende ser a maior pesquisa da América Latina sobre violência doméstica e familiar contra as mulheres.

ACESSE A PESQUISA NA ÍNTEGRA:
Pesquisa de Condições Socioeconômicas e Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher

Nas nove capitais pesquisadas, Salvador, Natal e Fortaleza são as cidades com maiores índices de violência física. Quando perguntado se estas mulheres sofreram algum tipo de violência às vezes, frequentemente e sempre, as cidades de Maceió, Recife e Aracaju são as cidades com maiores incidência.

Veja mais: Região Nordeste registra alto índice de violência doméstica (Jornal Nacional, 08/12/2016)

A secretária Especial de Políticas para as mulheres, Fátima Pelaes, informou que os resultados vão balizar as políticas, ações e atividades de enfrentamento aos crimes e abusos cometidos contra as brasileiras.

Os primeiros resultados desse levantamento serão apresentados nessa quinta-feira (8), às 18h30, no Hotel Mareiro, em Fortaleza (CE). Os estudos terão continuidade em 2017.

Serviço:

Pesquisa de Condições Socioeconômicas e Violência Doméstica e Familiar

Horário: 18h30

Local: Hotel Mareiro – Av. Beira Mar, 2380 – Meireles, Fortaleza – CE

Data: 08/12/2016

Compartilhar: