Paraguaia e vegana, mãe alega ter perdido guarda do bebê por racismo étnico

128
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

(Universa| 23/09/2020 | Por Patricia Garcia)

A história de Patricia Garcia vem ganhando força nas redes sociais. Nascida no Paraguai e descendente indígena-guarani, a educadora, que reside e faz mestrado em Foz do Iguaçu (PR), está afastada do filho de 1 ano e 2 meses há 39 dias. Ela perdeu na Justiça a guarda do menino, ainda em fase de amamentação. Atualmente ele está sob a guarda unilateral do ex-marido, que é brasileiro, reside na mesma cidade e de quem está separada desde a gravidez. A mãe ainda relata fazer a ordenha do leite sozinha, mecanicamente, e entregá-lo no endereço do pai da criança, sem ter contato algum com o bebê.

Acesse a matéria completa no site de origem.

Compartilhar: