Sites que exaltam “encoxadas” se multiplicam e praticantes marcam até “rolezinhos”

3347
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

(R7) Utilizar transporte público lotado pode ser uma experiência desagradável para muitas mulheres. Não são incomuns os casos de passageiras que sofrem abuso sexual. Mas esta violência nem sempre fica restrita a ônibus, trens e metrôs. Uma busca rápida pela internet revela que a prática é exaltada em redes sociais, sites e blogs. Sem pudor ou constrangimento, os “encoxadores”, como se autodenominam, compartilham experiências, marcam encontros e trocam imagens das vítimas e relatos do que muitas vezes chamam de “brincadeira”.

As histórias, que vêm de várias partes do País, chamam atenção pela quantidade de detalhes e descortinam a certeza da impunidade. Em uma das páginas no Facebook, um homem, recém-aceito em um grupo do tipo, sugere um “rolezinho da encoxada”.

Acesse a íntegra no Portal Compromisso e Atitude: Sites que exaltam “encoxadas” se multiplicam e praticantes marcam até “rolezinhos” (R7 – 15/03/2014)

 

 

Compartilhar: