Cinco menores foram estupradas por hora no Brasil em 2020; mais da metade tinha até 11 anos

Compartilhar:
image_pdfPDF

Dados do 15º Anuário Brasileiro de Segurança Pública mostram que vítimas de estupro no país são cada vez mais jovens; cerca de 60% dos crimes acontecem dentro de casa

(O Globo | 15/07/2021 | Por Leda Antunes)

RIO. O Brasil registrou 44,4 mil casos de estupro e estupro de vulnerável de menores de idade em 2020. Isso significa que, a cada hora, pelo menos cinco crianças e adolescentes foram vítimas desta violência sexual no ano passado. De acordo com o 15º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, lançado nesta quinta-feira (15), 54,4% destas vítimas tinham de zero a 11 anos.

Segundo a publicação, a cada ano que passa, as vítimas de estupro no Brasil são cada vez mais jovens. Considerando as vítimas de zero a 19 anos, o percentual de crimes cometidos contra crianças de até 13 anos subiu de 70% em 2019 para 77% em 2020. Já o percentual de vítimas de 0 a 9 anos que era de 37,5% (das vítimas de 0 a 19) em 2019, passou a ser de 40%.

Os dados do Anuário não permitem afirmar que houve aumento nos casos de estupro e estupro de vulnerável no Brasil em 2020. Porém, há fortes indícios de subnotificação. O primeiro deles é uma queda brusca nos registros no primeiro mês de confinamento, em abril do ano passado. Ao longo do ano, o número de notificações subiu conforme recuou a taxa de isolamento social, sugerindo que as denúncias não estavam sendo feitas em função do confinamento imposto para conter a pandemia.

Além disso, a escola e os profissionais de educação, que exercem um papel fundamental em identificar situações de violência vividas por crianças e adolescentes, não puderam cumprir essa função ao longo do ano passado, em função da pandemia. Segundo dados da UNICEF trazidos no Anuário, o Brasil é o país da América Latina com o maior número de crianças que perderam pelo menos três quartos do período letivo desde março de 2020: são 44 milhões de alunos nessa situação no país.

Acesse a matéria completa no site de origem

Compartilhar: