Infância ameaçada: denúncias de violência contra crianças e adolescentes voltaram a crescer em 2021

Compartilhar:
image_pdfPDF

(Revista Piauí | 13/12/2021 | Por Luigi Mazza e Renata Buono)

Depois de caírem de modo considerável em 2020, as denúncias de violência contra crianças e adolescentes voltaram a crescer este ano. No primeiro semestre de 2021, o Brasil registrou ao menos 137 crimes desse tipo por dia, enquanto no ano anterior a média havia sido de 127 casos diários – número menor, mas não menos assombroso. Trata-se, principalmente, de casos de estupro, maus-tratos e violência doméstica. E a estatística reflete somente uma parte da realidade: o levantamento, feito pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública a pedido da Fundação José Luiz Egydio Setúbal, leva em conta os dados de apenas doze estados brasileiros (que, juntos, concentram 65% da população). É seguro supor, portanto, que esse tipo de crime seja ainda mais frequente do que se tem conhecimento.

Os números mostram que, no período de maior isolamento na pandemia, em abril de 2020, houve uma queda brusca nos registros de abuso contra crianças e adolescentes – o que, em parte, pode se dever a uma subnotificação ainda maior desses crimes, em decorrência da quarentena. Com o afrouxamento das medidas de isolamento, os casos voltaram a se multiplicar. Os registros de maus-tratos cresceram 21,6% no país em 2021. No Pará, os crimes de violência doméstica triplicaram, superando até mesmo o patamar pré-pandemia. O =igualdades explica o que se sabe a respeito dos crimes contra crianças e adolescentes.

O primeiro semestre de 2021 teve ao menos 24,7 mil registros de violência contra crianças e adolescentes, no Brasil – uma média de 137 por dia. Foi um aumento de 8% na comparação com o primeiro semestre de 2020. Os registros desse tipo de crime tiveram uma queda acentuada no começo da pandemia, e desde então voltaram a crescer.

Acesse a matéria no completa no site de origem

Compartilhar: