Medidas do governo contra aborto legal levam deputadas a recorrer à ONU

Compartilhar:
image_pdfPDF

Parlamentares solicitam missão da ONU depois que governo emitiu novas exigências para que vítimas de estupro possam realizar aborto legal

(Uol |31/08/2020 | Por Jamil Chade)

Deputados do PSOL, PT, PSB e PCdoB apresentam uma queixa à cúpula da ONU, fazendo um “apelo urgente” diante dos “ataques e retrocessos para aborto legal” promovidos pelo governo de Jair Bolsonaro. A denúncia foi apresentada diante das novas orientações estabelecidas pelo Ministério da Saúde, consideradas como obstáculos para que meninas abusadas sexualmente possam ter acesso à Justiça e a um aborto legal. A carta foi enviada a Michelle Bachelet, alta comissária da ONU para Direitos Humanos, Dubravka Simonovic, relatora da ONU sobre violência contra mulher, Tlaleng Mofokeng, relatora da ONU para o direito à saúde, e para o Grupo de Trabalho da ONU sobre a discriminação contra a mulher. Assinam a carta deputadas como Sâmia Bomfim, Fernanda Melchionna, Luiza Erundina e Talíria Petrone, além de Alice Portugal, Jandira Feghali, Erika Kokay, Maria do Rosário e Lídice da Mata, entre outros.

Compartilhar: