Uma mulher é vítima de feminicídio a cada 7 dias no RJ, aponta ISP

1116
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

Dado é baseado nos meses de janeiro e fevereiro de 2019

(G1, 27/03/2019 – acesse no site de origem)

Uma mulher é vítima de feminicídio a cada 7 dias, de acordo com os dados divulgados pelo Instituto de Segurança Pública (ISP), nesta quarta-feira (27). Os números são baseados nos meses de janeiro e fevereiro de 2019, com casos registrados no Rio de Janeiro.

Apenas nos dois primeiros meses do ano, oito mulheres foram mortas vítimas de feminicídio (sendo 5 delas assassinadas por conhecidos e 3 por atuais companheiros) e 63 sofreram tentativa de feminicídio.

Feminicídio no RJ em 2019, segundo o Instituto de Segurança Pública — Foto: Reprodução/ISP

O infográfico apontou ainda os números de 2018, com 71 feminicídios e 288 tentativas de feminicídio. No ano passado, de acordo com o estudo, a média era de uma vítima de feminicídio a cada 5 dias no estado.

Feminicídio em 2018, segundo o ISP — Foto: Reprodução/ISP

O relatório mostrou que em 2018, 48% das vítimas eram pardas, 30% brancas e 21% negras. O levantamento apontou também que 62% das mulheres foram mortas em residências e 24 % em vias públicas.

Feminicídio: série histórica — Foto: Reprodução/ISP

Relembre alguns casos deste ano

Apenas nos cinco primeiros dias de 2019, o estado já tinha quatro casos de feminicídio. Em três ocorrências, os filhos presenciaram o assassinato da mãe. Um desses casos é o de Tamires Blanco, de 30 anos, morta com socos e garrafadas no Morro do Urubu, na Zona Norte do Rio. O bebê de 11 meses de Tamires foi encontrado em cima do corpo da mãe. Familiares da vítima acusam o ex-companheiro dela, Flodilson da Silva Araújo, pelo crime.

Outro caso foi o de Marcelle Rodrigues da Silva, de 27 anos, morta a facadas pelo ex-marido. Márcio Lima Correa foi preso logo depois do crime, em Cordovil, Zona Norte do Rio. A arma usada foi uma faca.

Em Itaguaí, na Baixada, José Carlos da Silva Carvalho agrediu a mulher com uma marreta, segundo a polícia. Simone Oliveira de Assis Carvalho, de 40 anos, morreu após o ataque.

O primeiro caso de 2019 aconteceu depois de uma festa de Réveillon na Taquara, Zona Oeste. O ex-marido de Iolanda Souza não aceitava a separação. E, segundo as investigações, diante dos filhos dela, deu mais de 30 facadas na ex-mulher.

Compartilhar: