9° edição do Julho das Pretas promove eventos durante o mês

200
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

Para o Brasil Genocida, Mulheres Negras apontam a Solução! é o tema da 9° edição do Julho das Pretas. Ação criada pelo Odara – Instituto da Mulher Negra, em 2013 , tem o objetivo de gerar incidência política e enfatizar uma agenda conjunta e propositiva de organizações e movimento de mulheres negras do Brasil. A  iniciativa celebra o 25 de Julho – Dia Internacional da Mulher Negra Afro Latina Americana e Caribenha. Lives, rodas de conversa e outras atividades estão previstas ao longo do mês.

Confira a programação aqui , assim como nas redes sociais do Odara – Instituto da Mulher Negra e nas páginas da Rede de Mulheres Negras do Nordeste e da Articulação de Organizações de Mulheres Negras Brasileiras.

Conheça o histórico das ações do Julho das Pretas

Em Defesa das Vidas Negras, pelo Bem Viver (2020) – A primeira edição totalmente virtual determinada pela pandemia do Coronavírus nos obrigou a construir estratégias para nos mantermos em estado de denúncia sobre as políticas de mortes provocadas pelo racismo estutural, base do capitalismo mundial. As mulheres negras organizadas no Brasil, articuladas com o contexto internacional, definem a defesa das Vidas Negras como pauta prioritária da luta política, em consonância com a construção de outro modelo civilizatório centrado no Bem Viver. A agenda deste ano, com 275 atividades, recorde de inscrições, prova mais uma vez que o movimento de mulheres negras é a maior potência política da contemporaneidade no Brasil. Confira a agenda.

Mulheres Negras Por Um Nordeste Livre (2019) – com o objetivo de destacar a vanguarda da região nas lutas por liberdade, contra o racismo, o patriarcado, a democracia plurirracial e pelo Bem Viver. E para visibilizar a ação e alinhamento político de uma gigantesca rede de mulheres atuantes na Região, articulada sobretudo pela Rede de Mulheres Negras do Nordeste. Confira a Agenda Coletiva do Julho das Pretas 2019

Mulheres Negras Movem o Brasil (2018) – foi uma edição marcada pelos 130 anos da falsa Abolição da Escravatura e dos 30 anos do primeiro Encontro Nacional de Mulheres. Foi momento de anunciar a toda a sociedade que as mulheres negras movem o Brasil. Neste ano, reafirmamos mais uma vez nossas estratégias de resistência na luta contra o racismo, o sexismo, a lbtfobia e a todas as formas de opressão que atingem a vida e existência das mulheres negras. Confira agenda: Agenda_Julho-das-Pretas_2018_WEB

Negras Jovens e as lutas de enfrentamento ao racismo, a violência e pelo bem viver (2017) – dialogou sobre as estratégias construídas pelas negras jovens feministas para enfrentar o racismo, machismo, lesbofobia, transfobia e todas as formas de opressão a partir  da troca intergeracional com ativistas do movimento de mulheres negras. Confira agenda e e-book desta edição:

Mulheres Negras no Foco: Mídia, Representação e Memória (2016) – debateu o direito das jovens e mulheres negras à comunicação, representação política, a narrativa de luta, acesso a direitos, enfrentamento às violências, incidência política, assim como estratégias e desafios para assegurar os registros e memórias da história da população negra, e como estes temas vêm sendo tratados nas diferentes linguagens de comunicação. Confira aqui: Agenda Julho das Pretas 2016.

A participação da mulher negra na políticas: estratégias e desafios (2015) – colocou em pauta a participação e representação política das mulheres negras nos diferentes espaços políticos no país, através de um olhar crítico sobre as estratégias de participação, as agendas apresentadas  pela luta de enfrentamento ao racismo e fortalecimento das mulheres negras; Confira aqui: Agenda_julho das Pretas 2015

Mostra de Arte e Cultura de Mulheres Negras (2014) – visou aprofundar e discutir o fortalecimento em torno da autonomia financeira das mulheres negras, do intercâmbio de experiências solidárias e criativas do empreendedorismo negro protagonizado pelas mulheres. Nesta edição, a proposta foi de realizar uma ação coletiva do Instituto Odara, Rede de Mulheres Negras da Bahia e  movimento de mulheres negras da Bahia juntando mulheres negras urbanas, rurais, quilombolas, jovens, lésbicas e dos diversos segmentos para discutir durante três dias suas estratégias em busca do fortalecimento da autonomia financeira e política. A Mostra de Arte e Cultura contou com a participação de mulheres negras de diferentes territórios: Sisal, Chapada Diamantina, Velho Chico, Baixo Sul, Agreste, Recôncavo, Região Metropolitana e de Salvador. Durante a Mostra foi anunciado o processo de mobilização rumo à Marcha das Mulheres Negras Contra o Racismo, a Violência e Pelo Bem Viver (Brasília\2015). Confira a Programação Coletiva_Julho das Pretas 2014

Fortalecimento Institucional das Organizações de Mulheres Negras na região do Nordeste Brasileiro (2013) – com objetivo de mapear as organizações de mulheres negras da região e discutir estratégias de fortalecimento político, financeiro e institucional; Confira Agenda Julho das Pretas_2013.

 

Compartilhar: