Pesquisa Ibope revela que mais de 72% dos católicos concordam que a mulher tem direito de escolha sobre a interrupção da gestação em caso de feto anencéfalo

796
0
Compartilhar:
image_pdfPDF
(Anis e Católicas) Maioria dos católicos acha que mulher tem direito de decidir pela interrupção da gravidez de feto com anencefalia

Pesquisa nacional realizada pelo Ibope, em setembro de 2008, com 2.002 pessoas em todo o território nacional, a pedido das ONGs Católicas pelo Direito de Decidir e Anis – Instituto de Bioética, Direitos Humanos e Gênero, revela, entre outros dados, que:

– 70,5% da população geral e 72,2% dos católicos concordam que a mulher grávida de um feto anencéfalo pode escolher se interrompe ou não a gestação em casos de anencefalia;
– 77% dos entrevistados concordam que é obrigação do Estado atender essas mulheres;
– dos entrevistados com escolaridade entre nível médio completo e superior completo, 75% concordam que a mulher grávida de um feto anencéfalo deve ter o direito de escolher sobre a interrupção da gestação nestes casos.

Compartilhar: