Fiocruz aponta crescimento de mortes de gestantes e puérperas por Covid

Compartilhar:
image_pdfPDF

Média semanal de mortalidade materna passou de 12,1 óbitos, em 2020, para 47,9 em 2021. Boletim também constatou tendência de crescimento de Síndrome Respiratória Aguda Grave em 12 estados e no DF.

(G1 | 04/06/2021 | Por Redação | Acesse a matéria completa no site de origem)

O novo boletim do Observatório da Covid-19 da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), divulgado nesta sexta-feira (4), alerta para o crescimento de mortes de gestantes e puérperas por causa da Covid-19.

O documento cita o Observatório Obstétrico Brasileiro Covid-19 para afirmar que os óbitos maternos em 2021 já superaram o total de 2020.

Ao longo de todo o ano passado, foram registrados 544 óbitos em gestantes e puérperas por Covid-19. Com isso, a média semanal foi de 12,1 mortes.

Já em 2021, até o dia 21 de maio, o número de óbitos foi de 911. Uma média semanal de 47,9 mortes.

“Esse quadro aumenta a preocupação em relação à disponibilidade de leitos de UTI adulto para essas mulheres e de leitos de UTI neonatal para os recém-nascidos, que podem ser inclusive prematuros. Os pesquisadores alertam que ambos precisam de cuidados especializados e imediatos”, afirma o boletim.

“Os especialistas alertam ainda que as gestantes podem evoluir para formas graves da Covid-19, com descompensação respiratória. Em especial, aquelas que estão em torno de 32 ou 33 semanas de gestação. Em muitos casos, há necessidade de antecipar o parto. “

Acesse a matéria completa no site de origem

Compartilhar: