Ministério recomenda adiar gravidez ao constatar risco maior de variante do coronavírus em gestantes

Compartilhar:
image_pdfPDF

(Folha de São Paulo| 16/04/2021 | Raquel Lopes e Ana Bottallo)

O secretário de Atenção Primária à Saúde do Ministério da Saúde, Raphael Câmara, afirmou nesta sexta (16) que as variantes do coronavírus no Brasil têm se mostrado mais agressivas em grávidas e que a pasta recomenda postergar a gravidez nesse período crítico da pandemia

Câmara, porém, não especificou a quais variantes se referia nem mostrou pesquisas que comprovem que as novas variantes sejam mais agressivas especialmente nesse público. Ele disse que o ministério já está trabalhando para realizar esses estudos.

“Estudo nacional ou internacional não temos, mas a visão clínica de especialistas mostra que a variante nova tem ação mais agressiva nas grávidas. Antes, [a gravidade] estava ligada ao final da gravidez, mas, agora, vê-se uma evolução mais grave no segundo trimestre e até no primeiro trimestre.” 

Reportagem publicada nesta semana pela Folha mostra um salto nas mortes maternas por Covid neste ano, mas aponta como principal fator a falta de assistência adequada, como acesso a UTI e ao procedimento de intubação. Desde o início da pandemia, uma em cada cinco gestantes e puérperas (22,6%) mortas por Covid não teve acesso à UTI e 1 em cada 3 não foi intubada.

Acesse a matéria completa no site de origem.

Compartilhar: