Mães solo, separadas e viúvas têm menor bem-estar financeiro

Compartilhar:
image_pdfPDF

(E-investidor| 08/05/2021 | Por Jenne Andrade)

A maternidade é um momento mágico para muitas mulheres. Entretanto, ter filhos leva a uma grande penalização financeira às mães, principalmente se elas são solo, separadas ou viúvas. Por outro lado, os homens não sentem tamanho impacto no orçamento. Os fatores que levam a essa conjuntura são expostos em um estudo da ESPM chamado ‘‘Bem-Estar Financeiro das Mulheres: uma Revisão Sistemática da Literatura e Caminhos para Futuras Pesquisas’, divulgado em abril.

De acordo com o professor Mateus Ponchio e as pesquisadoras de doutorado Virgínia Gonçalves e Roberta Basílio, responsáveis pelo estudo, as mulheres são obrigadas a assumir múltiplos papéis na maternidade, enquanto os pais conseguem estar mais focados no trabalho. A equipe analisou 130 artigos científicos publicados entre 1990 e 2020 para identificar os elementos que afetam o bem-estar financeiro feminino.

“A questão que identificamos da maternidade é que ela é um ponto de inflexão na vida financeira da mulher, já que aumenta a sobrecarga e o papel como cuidadora de filhos e da casa. Em contrapartida, diminui o engajamento dela no mercado de trabalho. A mulher tende a ter jornada reduzida ou irregular, indas e vindas em empregos, e isso afeta a renda e a percepção de bem-estar financeiro”, afirma Gonçalves.

Internacionalmente, essa situação é chamada de ‘motherhood penalty’, ou seja, uma penalização da maternidade. “Logo depois do nascimento do primeiro filho, as reduções do salário podem chegar até 9% para a mulher”, diz Gonçalves. “As mulheres também acabam se dedicando mais a cuidar não só dos filhos, mas de todos da família.”

De fato, segundo pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), em 2019 as mulheres dedicavam 21,4 horas semanais aos cuidados de pessoas ou afazeres domésticos, enquanto os homens apenas 11 horas. Essa diferença afetaria, segundo os especialistas, a forma como a mulher ganha dinheiro e, por consequência, o bem-estar financeiro delas.

Acesse a matéria completa no site de origem.

 

Compartilhar: