‘Não quero ser a única, nem a última’, diz Joênia Wapichana, primeira mulher indígena eleita deputada federal

Compartilhar:
image_pdfPDF

No Dia Internacional dos Povos Indígenas, a deputada federal Joênia Wapichana (Rede-RR) fala sobre o impacto da Covid-19 e reforça importância das lideranças femininas

(O Globo/Celina | 09/08/2020 | Por Leda Antunes)

Entre o aumento do desmatamento e das invasões a terras indígenas e o avanço rápido da Covid-19, “os povos indígenas enfrentam o pior momento da História desde a Constituição de 88”, avalia a deputada federal Joênia Wapichana (Rede-RR), a primeira mulher indígena eleita ao Congresso Nacional, em 2018.Desde a chegada da pandemia do novo coronavírus ao Brasil, a parlamentar tem se mobilizado na Câmara dos Deputados para pressionar o governo federal a articular uma estratégia de combate à Covid-19 entre a população indígena. Nesta semana, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu por unanimidade obrigar o governo a adotar uma série de medidas neste sentido. A deputada comemora a decisão e reforça a urgência de implementar as ações para conter o avanço da doença.Até sexta-feira (7), já haviam sido confirmados 23.038 casos e 646 mortes de indígenas pela Covid-19, segundo levantamento feito pela Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) com base em dados da Secretaria de Saúde Indígena do Ministério da Saúde (Sesai), das secretarias municipais e estaduais de Saúde e do Ministério Público Federal.

Acesse o artigo completo no site de origem.

Compartilhar: