11/01/2011 – Novas ministras trazem mudanças para o cenário da Esplanada (Estadão)

245
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

(O Estado de S. Paulo) “A placa do veículo oficial da Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM) informa ‘Ministro de Estado chefe da SPM/PR’. Como a pasta jamais foi comandada por homens, a ministra Iriny Lopes já pediu uma nova placa. Além das adaptações gramaticais de gênero em veículos e letreiros, a Esplanada rosa do governo Dilma Rousseff trouxe mudanças ao cinzento meio político: mais mulheres em postos estratégicos, mais orquídeas nos gabinetes e uma preocupação a mais para assessorias – carregar a bolsa da ministra.”

“Em seu discurso de posse, Miriam Belchior (Planejamento) frisou a importância da presença feminina no poder. ‘Além de toda responsabilidade que assumo hoje como gestora do Ministério do Planejamento, tenho outra missão a cumprir, juntamente com a nossa presidenta e as outras ministras: demonstrar que as mulheres podem dividir com os homens a condução do País.'”

“Miriam ainda não completou sua equipe, mas privilegiou mulheres nos cargos mais importantes. Escolheu Iraneth Rodrigues Monteiro para a Secretaria Executiva (na prática, uma vice-ministra), e manteve Célia Corrêa na Secretaria de Orçamento Federal. Na Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, a chegada de Luiza Bairros reverteu a divisão entre mulheres e homens no corpo de funcionários: elas são 73 ; eles, 72. Na SPM são 95 contra 25.”

placaministra_edferreira_ae“‘É preciso mudar a cultura, já que a sociedade e o meio político ainda são muito machistas’, disse Iriny ao Estado. ‘A placa (de carro) é um símbolo, e símbolos têm muita força. Ministro e ministra são coisas diferentes.’ Suas colegas de governo Ana de Hollanda (Cultura) e Izabella Teixeira (Meio Ambiente) já circulam com o ‘A’ de ministra estampado sobre rodas.”

“No caso de Ideli Salvatti (Pesca e Aquicultura), ela já havia começado a trabalhar no ‘gabinete do ministro’, quando, na quinta-feira, duas letras de metal coladas com SuperBonder e Araldite rebatizaram o espaço como ‘gabinete da ministra’.”

Acesse a matéria: ”Ministério rosa” altera cenário da Esplanada (O Estado de S. Paulo – 11/01/2011)

Leia também:
A regra do jogo, por Dora Kramer (O Estado de S. Paulo – 14/01/2011)
Presidenta, sim!, por Marcos Bagno (Carta Capital – 11/01/2011)

Compartilhar: