Mulheres negras enfrentam barreira maior no mercado de tecnologia

268
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

(Estadão| 12/08/2021 | por Anna Barbosa)

O Brasil tem mais negros (56%) e mulheres (52%), mas o mercado de tecnologia é predominantemente branco (58,3%) e masculino (68,3%), segundo a pesquisa Quem Coda o Brasil?, realizada pela PretaLab em parceria com a ThoughtWorks, consultoria global de software. O levantamento contou com a participação de 2.693 pessoas (1.528 pessoas negras e 1.165 de outras raças), entre junho e julho de 2021, e mostra que 59% dos negros não trabalham na área de tecnologia, mas têm interesse em atuar nela.

A pesquisa ainda aponta que para as mulheres negras é ainda mais difícil. Cerca de 61% das mulheres negras consideram atrativa a quantidade de vagas na área da tecnologia, enquanto entre as brancas esse número cai para 49%. O domínio do inglês, no entanto, é uma barreira para 56% das negras e apenas 13% para as brancas.

Além disso, 33% das mulheres negras acham que a maior dificuldade de entrar no mercado da tecnologia é a pouca diversidade e inclusão, área dominada por homens e pessoas brancas; entre as mulheres brancas, a questão é afirmativa para 23% das entrevistadas. Além disso, 71% das mulheres negras afirmam já terem sofrido racismo no trabalho, sendo 61% das discriminações feitas por colegas.

Afrodev está com as inscrições gratuitas abertas até o dia 12 de setembro, neste link. A iniciativa é da Share RH e nesta terceira edição o programa contará com duas trilhas de formação na linguagem Python, patrocinadas pela Alelo e Suzano S.A. Ao final do período de capacitação técnica, as pessoas poderão concorrer a vagas nas empresas patrocinadoras.

Acesse a matéria no site de origem

 

Compartilhar: