Quase 70% das mulheres já sofreram violência em universidades, mostra pesquisa

1770
0
Compartilhar:
image_pdfPDF

(Zero Hora – 03/12/2015) Pesquisa inédita divulgada nesta quinta-feira mostra que quase 70% das universitárias afirmaram já terem sofrido algum tipo de violência em espaços acadêmicos.

Encomendado pelo Instituto Avon ao Data Popular, o levantamento ouviu 1.823 universitários das cinco regiões do país, sendo que 76% estudam em instituições privadas, 24% em universidades pública e 60% são mulheres. Das entrevistadas, 67% já sofreram algum tipo de violência (sexual, psicológica, moral ou física) no ambiente universitário. Entre os homens, 38% dos estudantes admitiram já ter praticado pessoalmente de algum tipo de violência contra mulheres em espaços acadêmicos. Diferentemente da violência doméstica, em que a Lei Maria da Penha tipifica todos os casos, o grande problema da violência de gênero nas universidades é que ela não está clara nem para quem sofre como para quem comete, segundo a presidente do Conselho do Instituto Avon, Alessandra Ginante.

A pesquisa também mostrou que situações de violência sexual — como ter o corpo tocado sem consentimento, sofrer tentativa de abuso por estar sob efeito de álcool ou droga, ser forçada a beijar outro aluno ou ser coagida a ter relação sexual sem consentimento — foram sofridas por 28% das entrevistadas. Em festas acadêmicas, 11% delas afirmaram que já sofreram tentativa de abuso por estarem sob efeito de álcool. Entre os alunos, 27% disseram não considerar violência contra a mulher tentar abusar dela se estiver alcoolizada.

Leia mais:
Para 27% dos universitários, abusar de garota bêbada não é violência (G1/Educação – 03/12/2015)
Abuso sexual nas moradias da USP é constante e negligenciado (Jornal do Campus, 02/12/2015)
Ancelmo Góis: Número de universitárias que já sofreu violência sexual chega a 2,9 milhões, aponta pesquisa

Acesse a íntegra no Portal da Campanha Compromisso e Atitude: Quase 70% das mulheres já sofreram violência em universidades, mostra pesquisa (Zero Hora, 03/12/2015)

Compartilhar: