Doze estados fizeram menos de dez abortos legais no 1º semestre; portaria que obriga médicos a avisar polícia dificulta ainda mais o acesso, dizem especialistas

Compartilhar:
image_pdfPDF

Levantamento do G1 com base em dados do SUS mostra que Sergipe e Amapá, por exemplo, registraram juntos mais de 300 estupros, mas fizeram só um aborto legal cada. Pesquisa do Ipea indica que entre 7% e 15% dos estupros resultaram em gravidez. Portaria do Ministério da Saúde pede que hospitais acionem polícia; especialistas veem ‘inconstitucionalidade’ e ‘tortura’.

(G1 | 01/09/2020 | Por Lívia Machado, Patrícia Figueiredo e Cíntia Acayaba)

Doze estados do Brasil fizeram menos de dez abortos legais ao longo de todo o primeiro semestre de 2020, de acordo com levantamento do G1 feito com dados do Sistema Único de Saúde (SUS). Sergipe e Amapá, por exemplo, registraram, cada um, apenas um aborto legal de janeiro a junho deste ano (veja mais no mapa abaixo). Nesse período, o Brasil fez 1.024 interrupções de gravidez previstas em lei.

Compartilhar: