Portal Catarinas estreia monitoramento mensal de questões relacionadas aos Direitos Sexuais e Reprodutivos no Brasil e na América Latina e Caribe

Compartilhar:
image_pdfPDF

(Portal Catarina | 13/04/2022 | Por Daniela Valenga e Morgani Guzzo

A legalização do aborto na Colômbia em fevereiro deste ano representou um avanço para toda América Latina e Caribe em relação aos Direitos Sexuais e Reprodutivos (DSDR). Agora, seis países da região têm o aborto legalizado, enquanto em outros onze países, incluindo o Brasil, o procedimento pode ser realizado parcialmente.

No entanto, enquanto alguns países da América Latina comemoram os avanços, o Brasil continua imerso em ameaças de retrocessos.

Um dos indicativos desse cenário é a reação dos grupos antidireitos após a fala do ex-presidente e candidato à Presidência em 2022, Luiz Inácio Lula da Silva, na semana passada. Ao dizer que o aborto deveria ser tema de saúde pública, Lula foi alvo de grupos conservadores ligados à Bolsonaro, que incitaram discursos de ódio contra o petista na tentativa de fazê-lo retroceder e/ou de fazer crescer a aprovação do atual presidente, reconhecido inimigo dos direitos das mulheres e pessoas que gestam.

Considerando a importância dessa temática e a relevância dela no contexto das eleições brasileiras que se aproximam, o Portal Catarinas lança um monitoramento com os principais acontecimentos em torno dos direitos sexuais e reprodutivos no Brasil e na América Latina e Caribe. Começando por março, mês histórico de luta das mulheres, apresentaremos mensalmente um compilado das novidades relacionadas à temática.

Acesse a matéria completa no site de origem.

Compartilhar: