GMMP 2020 Brasil debate resultados do monitoramento sobre representação das mulheres na mídia

Compartilhar:
image_pdfPDF

Marisa Sanematsu, diretora de conteúdo da Agência Patrícia Galvão, é uma das convidadas do encontro

(Agência Patrícia Galvão, 20/08/2021)

A cada cinco anos, desde 1995, pesquisadoras/es, ativistas e jornalistas em mais de 100 países realizam o GMMP (Global Media Monitoring Project), para analisar as representações de gênero nos meios de comunicação do mundo. Em 2020, graças ao esforço colaborativo de mais de 80 voluntárias/os brasileiras/os, que coletaram e analisaram notícias dos principais veículos de comunicação do país, o Brasil voltou a integrar o estudo após anos de ausência.

Os resultados estão disponíveis para consulta no site da entidade realizadora do GMMP, WACC (World Association for Christian Communication), com sede no Canadá, e serão apresentados em um encontro online, promovido pela Comissão de Direitos Humanos da ECA/USP, por meio do projeto Diversidade na ECA e do grupo de pesquisa AlterGen – Alteridade, Subjetividades, Estudos de Gênero e Performances nas Comunicações e Artes, na próxima terça-feira, 24 de agosto, a partir das 9h30 (horário de Brasília).

Mesa de Abertura: GMMP 2020 Brasil: A representação de gênero na mídia brasileira
das 9h30às 11h30

  • Apresentação: Elizângela Carvalho, coordenadora nacional do GMMP Brasil;
  • Mediação: Cláudia Lago, professora da Escola de Comunicações e Artes/USP;
  • Debatedoras:
    Maria Sylvia de Oliveira, advogada e coordenadora de Políticas de Promoção de Igualdade de Gênero e Raça do Geledés – Instituto da Mulher Negra;
    Jaqueline Gomes de Jesus, professora do Instituto Federal do RJ e presidenta da ABEH – Associação Brasileira de Estudos da Homocultura;
    Samira de Castro, segunda vice-presidente da Fenaj e representante da diretoria executiva na Comissão Nacional de Mulheres da Fenaj e da Rede de Jornalistas e Comunicadoras com visão de Gênero e Raça;
    Marisa Sanematsu, diretora de conteúdo da Agência Patrícia Galvão.

 

Mesa 2: Dados e Estudos de Caso: Leitura das ausências
das 14h às 15h30

  • Mediação: Priscila Freire, Universidade do Estado do Amazonas;
  • Debatedoras:
    Kareen Terenzzo, Universidade de Coimbra;
    Clarissa Carvalho, Universidade Estadual do Piauí;
    Keila Rosa, Universidade de Coimbra;
    Daiane Rufino, Universidade Estadual do Piauí. 

 

 

Mesa 3: Desdobramentos e Possibilidades a partir do GMMP
das 14h às 15h30

  • Mediação: Izamara Bastos, Laboratório de Pesquisa em Comunicação e Saúde do ICICT/Fiocruz;
  • Debatedoras:
    Liana Vidigal, Universidade Federal do Tocantins;
    Ester Minga, Universidade Nova de Lisboa;
    Tamires Coelho, Universidade Federal de Mato Grosso;
    Patrícia D’Abreu, Universidade Federal do Espírito Santo. 

 

Haverá transmissão pelo canal Diversidade na Eca no Youtube.

Compartilhar: