Atrizes que denunciaram diretor pornô por estupro são investigadas pela polícia

Compartilhar:
image_pdfPDF

Diretor Binho TED, da produtora Hard Brazil, registrou queixa por calúnia e difamação contra três atrizes que relatam terem sido estupradas por ele

(Ponte Jornalismo | 10/10/2021 | Por Beatriz Drague Ramos)

Era sábado, 2 de outubro, quando a atriz pornô Ágatha Ludovino, 21 anos, recebeu uma carta em sua casa. Era uma intimação para comparecer no 97º DP (Americanópolis), na zona sul da cidade de São Paulo. Ao se apresentar na delegacia, na última quinta-feira (7/10), Ágatha descobriu que havia se tornado alvo de um inquérito policial por ter denunciado, junto com duas colegas, supostos abusos sexuais de que teriam sido vítimas, todos praticados pelo diretor pornô Fábio Silva, 44, dono da produtora HardBrazil.

O diretor, que usa o nome artístico de Binho TED (Terror das Empregadas Domésticas), nega os crimes e registrou queixa na Polícia Civil contra as três mulheres que o denunciaram: além de Agatha, a atriz pornô Stella de Abreu Rezende, 27 anos, e a ex-atriz Evelyn Carolina de Souza Buarque Lima, 23 anos, que deixou a carreira pornô por causa das violências que afirma ter sofrido.

Por causa do boletim de ocorrência registrado pelo advogado de Binho, a Polícia Civil abriu inquérito para investigar as três jovens por suspeita de dois crimes: calúnia (atribuir a uma pessoa um crime que ela não cometeu), punida com seis meses a dois anos de detenção, e difamação (imputar fato ofensivo à reputação de alguém), que tem pena de três meses a um ano.

As queixas de Binho foram uma resposta às denúncias das três atrizes, que vieram à tona em reportagem da Ponte publicada em abril deste ano. O diretor é ele próprio alvo de um inquérito pelas suspeitas de estupro, na 2ª Delegacia de Polícia de Defesa da Mulher (2ª DDM Sul), aberto a partir de queixas registradas por Stella e Evelyn.

O diretor nega todas as suspeitas e afirma que é inocente. Em entrevista à Ponte, Fábio Silva contou que sempre respeitou todas as mulheres com quem trabalhou. “Inclusive a minha esposa trabalha sempre ao meu lado, portanto todas as acusações foram feitas por alguma razão oculta, que está sendo investigada. Sou inocente de todas as acusações, jamais cometi qualquer conduta narrada em sua reportagem”, afirmou. Segundo Fábio, os relatos das atrizes são são muito graves e “sem fundamentos” e atingiram sua “honra e imagem”.

Em julho deste ano, após a reportagem da Ponte, o portal Uol revelou que outras quatro atrizes também afirmam terem sido vítimas de violência sexual praticada pelo diretor da HardBrazil.

Acesse a matéria completa no site de origem10

Compartilhar: